Viewing posts from: February 2016

Software de Vendas: 4 erros diários que você deve evitar ao utilizá-lo

Clientes mais exigentes e concorrência mais acirrada. Sim, o cenário é cada vez mais desafiador para o gestor de negócios. Atualmente, uma das estratégias mais recomendadas para se adaptar a essa nova realidade é o CRM (Customer Relationship Management). Muitas organizações já se utilizam o software de vendas como uma forma de melhorar o relacionamento com o cliente, antecipando suas necessidades e promovendo o melhor atendimento possível.

No entanto, muitos erros ainda são cometidos pelos gestores e suas equipes, principalmente durante a fase de implementação. Ainda existe uma confusão muito grande sobre o conceito e a finalidade do CRM, por exemplo, isso sem falar nos erros de utilização, normalmente ocasionados pela falta de treinamento interno ou pouca familiaridade dos usuários com o sistema.

Para você que quer acertar o passo de uma vez por todas, preparamos uma lista com 4 erros que podem ser evitados ao usar um software ou o módulo de vendas de um CRM.

1. Ponto de vista equivocado

Muitas equipes acreditam que o software de vendas é instalado com o único propósito de monitorar suas atividades, como um espião. Isso acontece pois o gestor não consegue implementar todos os conceitos da ferramenta com sucesso, o que acaba gerando controvérsias internas. Há, portanto, uma falha de comunicação.

Os softwares de gestão de vendas devem ser vistos como um suporte indispensável ao desenvolvimento do processo de vendas que auxilia os vendedores a produzir mais, melhorando seus resultados e, consequentemente, os resultados da empresa. Na verdade, é uma ferramenta elaborada justamente para facilitar a vida do time de vendas, de modo que tenham mais sucesso no seu trabalho.

2. Não trabalhar de maneira integrada

Quando se implementa um software de gestão de vendas, o que se espera é que ele seja plenamente usado, certo? No entanto, é muito comum encontrarmos empresas que deixam de centralizar as atividades na ferramenta. Registros de clientes e ligações, por exemplo, acabam sendo anotados em agendas físicas, planilhas de Excel ou seus registros simplesmente são ignorados. No final, o CRM se transforma em uma ferramenta para elaborar relatórios e dar uma visibilidade sobre as atividades que o vendedor está desenvolvendo para seu gestor (o que acaba por reforçar o primeiro erro).

É fundamental que seja criada uma cultura organizacional pautada na automação, com gerenciamento de atividades e calendários sendo realizados quase que automaticamente, bem como o envio de e-mails e de materiais úteis aos clientes que possam apoiar o processo de vendas. Assim, todos os colaboradores podem extrair o uso máximo das ferramentas implementadas, conseguindo resultados muito melhores. Além disso, o CRM precisa ser totalmente integrado a outras soluções já utilizadas pela sua empresa, como e-mail e calendário usados pelos vendedores, por exemplo.

3. Acreditar que o treinamento é dispensável

Sim, os softwares de vendas são cada vez mais intuitivos e de fácil utilização. Mas isso não significa dizer que devemos abandonar a fase de treinamento dos colaboradores, principalmente quando eles não estão acostumados ao uso da tecnologia de maneira habitual.

O treinamento não funciona apenas como um “manual de instrução”. Ele também educa as equipes a fazer o melhor uso da ferramenta, indicando sua finalidade, os benefícios, correta categorização e, principalmente, sua importância na rotina diária dos vendedores para automatizar suas atividades. Com isso, os resultados esperados do CRM podem ser obtidos muito mais rapidamente.

4. Esquecer do cliente

O último e talvez mais grave erro. O software de vendas é uma ferramenta que auxilia vendedores e gestores, isso já está claro. No entanto, o seu verdadeiro foco é o relacionamento com o cliente. O objetivo maior é melhorar o relacionamento, oferecendo um serviço mais personalizado e um atendimento de qualidade para todo o seu público-alvo.

Nenhuma tecnologia no mundo pode suprir a falta de foco no atendimento de uma equipe, afinal, essa é uma marca da cultura da sua organização. Por isso, antes de implementar qualquer solução, busque treinar os seus colaboradores para que eles realizem um atendimento de qualidade e realmente busquem a satisfação do consumidor!

Ficou com alguma dúvida no artigo ou tem alguma sugestão? Então deixe o seu comentário!

 Webinar sobre Produtividade e CRM Online

Read more

Scrum e gerenciamento de projetos com uso de sites de equipe

Recentemente falamos aqui no blog sobre os benefícios de se compartilhar arquivos na nuvem: praticidade, agilidade, segurança, entre outros. Mas você sabia que é possível melhorar ainda mais a performance da sua empresa adotando o Scrum e integrando-o ao uso de sites de equipes?

Melhorar o desempenho e a produtividade constantemente sempre é um grande atrativo, portanto, vamos descobrir neste post o que é Scrum, como ele otimiza o gerenciamento de projetos na sua empresa e como ele pode se tornar ainda mais ágil quando aliado a um site de equipe.

Scrum e projetos ágeis

Scrum é uma metodologia ágil de planejamento e gestão de projetos que se baseia em ciclos iterativos e incrementais, chamados Sprints. De uma maneira prática, você divide seu projeto em pequenas atividades que são desenvolvidas e gerenciadas uma a uma, o que permite maior flexibilidade para aceitar mudanças e priorizar aquelas atividades que têm maior impacto na geração de valor para o negócio.

No Scrum temos três papéis básicos: o Product Owner, que é o responsável por determinar quais são as atividades do projeto e se relacionar com os stakeholders; o Scrum Master, que funciona como um mentor da equipe, orientando sobre as melhores práticas Scrum; e o Scrum Team, isto é, a equipe do projeto.

O Scrum Team deve ser formado por profissionais altamente qualificados, já que para que a metodologia funcione de verdade é preciso contar com equipes autogerenciáveis, ou seja, que possam atuar com autonomia. O próprio Scrum Team faz a distribuição de tarefas dentro de cada Sprint e gerencia o tempo de execução, bem como as entregas.

Scrum Team e sites de equipes

Como o Scrum Team é uma equipe auto-organizada, precisa de ferramentas para agilizar a comunicação entre os membros e manter o registro de todas as tarefas desenvolvidas em cada Sprint, visando manter o conhecimento compartilhado. É aí que entram os sites de equipes.

Sites de equipes, como o Productvee, permitem que os usuários criem projetos, tarefas e subtarefas, mantendo a produção do Scrum Team organizada e categorizada conforme a ordem de importância. Dessa forma, é possível que cada membro do time trabalhe em suas tarefas no momento mais propício e mantenha os colegas informados de sua evolução.

Outra ferramenta muito utilizada por equipes de projetos é o Podio, pois com ele você cria fluxos de trabalho estruturados para que seu time trabalhe colaborativamente. Além das funcionalidades para gerenciamento de projetos, você pode integrar o Podio ao seu CRM ou e-mail, agendar reuniões com sua equipe e ainda trocar ideias no chat interno. Ou seja, toda a comunicação fica registrada num único lugar, seguro e confiável.

No gerenciamento de projetos muitas vezes precisamos sair das planilhas e listas de tarefas e visualizar as atividades de uma forma mais intuitiva. Nesse sentido, o ConceptBoard é uma excelente ferramenta de trabalho em equipe. Nele você cria dashboards visuais e intuitivos, onde é possível inserir post-its virtuais, comentários, fazer marcações e colaborar com as pessoas mesmo à distância.

Além de todas essas ferramentas ainda existe o SharePoint Online, disponível em grande parte dos pacotes do Office 365 que as empresas possuem. Ele reúne a possibilidade de criação de fluxos de trabalho, centralização de todos os documentos e informações de um projeto, adição de aplicativos para facilitar o gerenciamento de projetos, integração com o Yammer, uma rede social corporativa que facilita a comunicação entre a equipe e muitas outras funcionalidades. No fundo, o SharePoint é a reunião de praticamente todas as funcionalidades citadas nas outras ferramentas, com o benefício de já ser integrado aos softwares da Microsoft, o que facilitará ainda mais o gerenciamento do projeto segundo o método Scrum. 

Quando se trata de gerenciamento de projetos e Scrum, escolher as melhores tecnologias para otimizar o trabalho é fundamental. E você, quais tecnologias usa para melhorar a produtividade e agilidade nos seus projetos? Deixe seu comentário!

Banner sobre consultoria gratuita de SharePoint Online (ECM, GED e Portais de Intranet)

Read more

Entenda de uma vez por todas o que é CRM

Customer Relationship Management – CRM, ou gestão do relacionamento com clientes, é uma estratégia utilizada para gerenciamento das interações e relações entre uma empresa e seus consumidores. Esse conceito surgiu no final dos anos 1980 e foi amplamente adotado a partir da década de 90, quando o foco principal das organizações era a redução de custos e a reengenharia de processos.

Mas, afinal, o que é CRM?

Para que fosse possível criar mais aproximação entre o consumidor e a empresa, algumas metodologias foram desenvolvidas, como é o caso do CRM. Por meio dessa prática, as empresas poderiam identificar seus clientes, suas preferências e o que costumam fazer, com o objetivo principal de entender seu comportamento para atendê-los da melhor forma possível. Essas informações criariam novas possibilidades à empresa com a antecipação das necessidades dos consumidores, promovendo a geração de novos negócios e aumentando a sua rentabilidade.

A premissa do CRM é que as relações devem acontecer entre empresa e cada cliente de uma forma individual ou exclusiva, ou seja, que cada consumidor possa sentir-se reconhecido e perceber o atendimento customizado como um diferencial. Dessa forma, o foco do negócio passa a ser o cliente e não mais o produto.

Sabemos que o estudo das informações do consumidor é um mecanismo que serve para a empresa criar uma experiência de compra mais assertiva. Por isso, uma questão muito importante no CRM é entender que cada contato deverá servir como uma espécie de aprendizado sobre o consumidor, a fim de conhecer cada vez mais suas características, necessidades e desejos. Portanto, toda a estratégia de CRM deve estar alicerçada em uma ferramenta, que leva o mesmo nome da estratégia e que tem como grande papel de coletar informações e mapear as interações do cliente com o mercado para identificar e antecipar tendências, bem como padrões, opiniões e tudo o que possa ser relevante para a identificação de novas oportunidades.

Como funciona um CRM?

Conforme já foi dito, CRM é um processo para desenvolvimento e manutenção das relações com clientes. Ele se baseia em dados primários, ou seja, obtidos diretamente com o indivíduo, sendo operacionalizado por meio de uma ferramenta orientada por análises estatísticas que serão utilizadas no processo decisório empresarial.

Portanto, CRM não é simplesmente um software. CRM é uma tecnologia pela qual a empresa poderá armazenar informações de clientes e potenciais clientes, de contas, leads, oportunidades e até de concorrentes comerciais em um banco de dados, tornando-os acessíveis a todos os interessados. Se for utilizada em nuvem, é ainda maior a possibilidade de acesso em tempo real, sem  nenhum tipo de barreira física.

Por meio do CRM, a organização terá o controle do histórico de interações dos clientes, agilizando muitos processos. O empresário poderá visualizar chamadas, e-mails, convites, propostas entregues, andamento de negociações e até mesmo a evolução do crescimento de determinada conta, entre outros. Já o time de vendas poderá automatizar processos, como o envio de e-mails ou a geração de padrões de propostas

O sistema trabalha integrando informações do processo de compra em um banco de dados, o que permite diversos tipos de análises tanto do processo interno da empresa, como tempos de respostas, período médio de desenvolvimento de leads em um determinado estágio do processo de vendas, maior ou menor facilidade de algum vendedor com relação a um tipo específico de cliente ou de produto/serviço. Essas análises podem auxiliar a empresa a melhorar o atendimento aos seus clientes e a otimizar suas vendas e campanhas de marketing.

Além disso, o CRM consolida e analisa dados estratégicos de mercado, podendo auxiliar também na realização do planejamento estratégico da empresa.

Benefícios de um CRM

Um CRM pode oferecer inúmeras vantagens para as empresas. Dentre elas, podemos destacar as seguintes:

Fidelização de clientes

Mantendo um bom relacionamento com seu cliente, a chance de perdê-lo para o concorrente é menor. Se o relacionamento puder superar as expectativas, melhor ainda! Lembre-se de que já existem estudos e pesquisas de mercado que comprovam que é muito mais oneroso conseguir um novo cliente do que manter um que já foi conquistado.

A eficiência do CRM se comprova quando o conhecimento acerca do consumidor se torna um meio para conquistá-lo. E quando conquistado — e satisfeito —, essa experiência se torna um vínculo que não o deixa vulnerável à concorrência.

Aumento do valor agregado

Sabemos a complexidade do relacionamento com o cliente. Por isso, a garantia da qualidade nessa interação o aumento da percepção de valor, ou seja, o valor agregado à experiência.

O valor agregado dado atualmente para a qualidade das relações com os clientes é considerado um meio para permanecer firme em um mercado competitivo. Por isso, dizemos que o CRM é um mecanismo que dá subsídios à empresa na fidelização do cliente.

Aumento da satisfação do cliente

O CRM é uma estratégia adotada pela empresa buscando a satisfação total das necessidades dos clientes. Por meio das análises realizadas no CRM, cada consumidor é analisado em grupos ou isoladamente para que a empresa consiga antecipar essas necessidades, e possa atendê-las adequadamente. O processo de tomada de decisão do consumidor pode, então, ser controlado e otimizado se sua empresa puder oferecer aquilo de que ele precisa ou deseja, e esse é outro motivo para o aumento de sua satisfação.

Outro ponto que também causa um grande impacto no consumidor é a experiência de compra positiva. Quanto mais encantado ele estiver, maiores são as chances do fechamento do negócio. E se no processo de negociação o vendedor puder demonstrar o quanto conhece seu cliente, mais fidelizado e satisfeito ele estará.

Diminuição da perda de clientes

A perda de clientes é, sem dúvida, um problema grave para muitas empresas. Entretanto suas causas podem ser resolvidas pela implementação do CRM, pois ele permite a análise de aspectos importantes para a organização, como a identificação dos motivos pelos quais os clientes estão desistindo da compra ou optando por seus concorrentes.

O sistema também ajuda no aumento da velocidade de resposta e na rapidez na solução de problemas, por concentrar e analisar as informações sempre que necessário. Além disso, torna o atendimento personalizado, ajuda a alinhar os profissionais ao discurso da empresa e aos seus clientes, entre outros benefícios. Podemos dizer, então, que a diminuição na perda de clientes nada mais é do que uma consequência natural do aumento da satisfação do cliente por causa da melhor experiência de compra.

Melhoria da imagem da empresa

A melhoria na comunicação dos valores da empresa para seus clientes, o relacionamento entre ambos e o aumento da satisfação do consumidor certamente são bons caminhos para uma ampla melhora da imagem organizacional. Além disso, com atendimento personalizado e maior agilidade no processo de compras, há boas possibilidades de destacar sua empresa no mercado.

Da mesma forma, com as análises de mercado e dos clientes que estão disponíveis em um sistema de CRM, a organização poderá ganhar vantagem competitiva. Fazendo um planejamento estratégico que vai ao encontro dessas informações, são grandes as chances de aumentar a visibilidade da organização.

Tipos de atividades realizadas no CRM

Os sistemas de CRM podem ser usados em três momentos distintos do dia a dia da sua empresa: operacional, analítico e colaborativo. Confira a seguir:

CRM operacional

Momento de interação com o cliente, coleta de dados e informações. Poderá ser realizado nos canais de relacionamento tradicionais, como nos pontos de venda, ou em websites. Esse momento também pode ser realizado a partir de agentes de call centers e centrais de vendas.

CRM analítico

Após a captura dos dados com a operacionalização do CRM, eles serão tratados com ferramentas de análise e suporte à decisão, baseadas em tecnologias de armazenamento de dados. Esse processo é chamado de CRM analítico e consiste na fonte de inteligência do processo. Sua principal função é a de gerar previsões e apoiar as tomadas de decisão estratégicas para os gestores ou proprietários das empresas.

CRM colaborativo

O CRM também é colaborativo, afinal todos os pontos de contato com clientes receberão as informações que necessitam para criar um relacionamento efetivo e personalizado. É nessa etapa que o CRM demonstra todos os benefícios do seu uso, pois evita que a experiência do cliente seja uma nos meios digitais, outra no atendimento via telefone e ainda outra no atendimento presencial.

É importante destacar que a organização deve utilizar o CRM nesses três momentos ou formas.

O processo de implementação do CRM estratégico

Para todas as estratégias de negócio, incluindo o CRM, existem as melhores práticas. Cada empresa promoverá a implementação de acordo com o cenário em que se encontra. Entretanto, é possível considerar algumas premissas ao iniciar praticamente qualquer projeto de CRM:

  • Abrangência do projeto: desenvolvimento de um plano que possa identificar claramente os objetivos da implementação do CRM em relação à organização.

  • Cultura do Cliente: para que haja efetiva utilização do CRM, é importante que o processo inicie de fora para dentro, ou seja, partindo da identificação das necessidades de qualificação na captação e retenção de clientes e das dificuldades que eles enfrentam, a seguir, remodelar processos para sanear esses problemas e melhorar sua experiência .

  • Preparação para mudança: o CRM deverá estar alinhado às estratégias do negócio, alinhado a objetivos, processos, sistemas de informação e equipe. A visão em relação ao modo de pensar e agir deve ser compartilhada entre todos, desde o topo até a base da organização.

  • Solução tecnológica: buscar um software que possa atender às necessidades da empresa e que possa ser integrável às demais aplicações existentes.

  • Mudança nos processos: para que o CRM possa orientar a empresa na direção de uma nova atitude, é necessário que haja mudança nos processos organizacionais. Sempre existe a necessidade de alinhamento para que os benefícios do CRM se tornem visíveis.

  • Detalhamento no plano de implementação: desenvolvimento de um plano piloto, criação de indicadores de desempenho e planejamento de avaliações para que exista um melhor controle do projeto e que se façam as correções de curso necessárias.

  • Foco no cliente: mantenha sempre o cliente como objetivo principal do projeto na mente de sua equipe para que o relacionamento entre ambos possa ser consolidado.

Etapas da implementação do CRM

Basicamente, podemos descrever cinco etapas para a implementação do sistema:

Planejar e definir os objetivos:

Na primeira etapa, a empresa necessita identificar quais os objetivos que espera atingir com a implantação de um CRM. Também será importantíssimo estabelecer quem será responsável pela implantação da solução dentro da empresa e a consultoria que irá apoiar os processos técnicos. Isso irá ajudar a mensurar o retorno e criar uma referência na empresa sobre a ferramenta e sobre a cultura que envolve o uso de um CRM.

Personalização da ferramenta:

Concluindo a primeira etapa, a próxima tarefa será determinar quais são os processos que serão automatizados, os campos que devem ser preenchidos em cada etapa, os alertas ou fluxos de trabalho que o sistema deverá conter. Esta etapa é fundamental para a empresa ter um CRM que de fato apoie e simplifique suas ações diárias.

Importar histórico de clientes e dados:

Após a personalização, o CRM estará pronto para receber os dados dos clientes de sua empresa. É neste momento que listas de prospecção, cadastros de clientes que costumam ser armazenados em planilhas ou outros sistemas, bem como dados de histórico de compra do cliente passam a ser importados e analisados pela ferramenta.

Definição de funções, usuários acessos e seus respectivos processos:

Uma pessoa será responsável por apensa coletar os dados de relacionamento, mas outra é que poderá fazer análise? Tudo bem! Nesta etapa é possível definir quem, como, quando e o que poderá fazer no CRM.

Relação contínua de aprendizado

A partir do momento em que o CRM estiver pronto para ser usado, sua empresa poderá realizar treinamentos, reuniões periódicas e análises constantes para poder otimizar seus processos e a gestão de seus times de vendas, marketing e atendimento (pós-vendas). Também a experiência de interação com o cliente será importante para alimentar e revisar os processos internos da empresa.

Além dessas etapas, existem alguns elementos fundamentais para que a empresa possa atingir os resultados esperados nas iniciativas de CRM, garantindo que as mudanças culturais sejam efetivas no processo. Confira:

  • Capacitação: todos os envolvidos precisam ter um entendimento comum sobre o conceito e a ferramenta de CRM.

  • Comunicação: são necessárias estratégias corretas e eficazes de comunicação para que possam estimular a iniciativa da equipe e prepará-las para a mudança.

  • Mudança de atitude: é importante mostrar para a equipe o cenário atual da empresa, seus problemas e quais são as expectativas para o futuro.

Portanto, podemos concluir que o conceito do CRM é muito amplo, envolvendo estratégia e tecnologia. Além disso, é um processo que exige um envolvimento muito profundo de toda equipe que participará do processo. Diante disso, é de responsabilidade do gestor a definição da melhor estratégia de CRM a ser adotada pela organização para que a implementação possa ter efetivo sucesso.

Comente no post se você tem alguma dúvida sobre o CRM ou compartilhe sua experiência conosco!

 Banner para fazer download do e-book "Processo de Vendas: Dicas e Técnicas."

Read more

8 ferramentas de colaboração que sua empresa precisa usar

Em um mundo em que compartilhar é palavra de ordem, apostar no uso de ferramentas de colaboração é essencial para qualquer gestor que quer aumentar a produtividade da equipe e alcançar resultados corporativos mais satisfatórios.

Por meio de ferramentas colaborativas, vários funcionários podem atualizar o mesmo arquivo de forma simultânea, acessar e alterar documentos e planilhas de onde estiverem, seja por meio de notebook, smartphone ou tablet, além de terem certeza que seu trabalho está em segurança, já que as informações estão na nuvem e o backup é feito online.

Confira agora as ferramentas de colaboração que sua empresa precisa usar:

Dropbox

Quer compartilhar arquivos com segurança e sem ter trabalho? O Dropbox é uma das ferramentas de colaboração que o ajuda a fazer isso. Um dos grandes diferenciais da ferramenta, que é gratuita, é a possibilidade que oferece de poder acessar seus documentos em qualquer lugar. É possível salvar seus arquivos no computador para depois acessá-los pelo celular ou tablet, por exemplo.

Tudo o que você salva no Dropbox sincroniza automaticamente com todos os seus dispositivos. Compartilhar pastas com colegas de trabalho também é fácil e seguro: você pode, inclusive, gerenciar permissões para pastas compartilhadas com outras pessoas na versão Pro, que custa US$ 9,99 por mês.

A grande limitação dessa ferramenta é não poder editar os arquivos que são compartilhados, eles podem apenas ser visualizados e baixados.

OneDrive

Com o OneDrive seus arquivos estão ao alcance de um clique, de onde você estiver. Com um funcionamento bem semelhante ao do Dropbox quanto ao compartilhamento, o One Drive supera as limitações relativas ao compartilhamento de pasta e edição de documentos. Essa ferramenta da Microsoft dá aos funcionários da sua empresa o poder de colaborar com outras pessoas em documentos do Office a partir de sua área de trabalho, dispositivo móvel ou até com o simples uso de um navegador de internet, sem a necessidade de instalar nenhum aplicativo, usando apenas o Office Online.

O plano empresarial oferece ainda mais possibilidades, como 1 TB de espaço por pessoa e já está incluso em uma grande parte dos pacotes do Office 365 que ser adquiridos pelo valor de R$ 21,90 ao mês e conta com muitos outros recursos e funcionalidades. Faça a avaliação gratuita aqui.

Evernote

O escritório moderno para o trabalho da sua vida. O lema do Evernote resume o que a ferramenta colaborativa pode fazer pelo seu dia a dia corporativo: com ela, seu escritório está onde você estiver. Criar notas e cadernos, salvar links e trocar mensagens com as pessoas que estão trabalhando no mesmo projeto são algumas das possibilidades que a ferramenta oferece.

O plano básico é gratuito. O Business, que oferece recursos extras, exige investimento de R$ 240 por usuário.

One Note

Não tem nada pior do que não lembrar onde estão suas anotações. Com o OneNote, a saga pelos papéis perdidos chega ao fim. Com a ferramenta colaborativa, todas as suas anotações ficam em um só lugar e seus blocos podem ser compartilhados com outras pessoas para visualização ou edição.

Suas funcionalidades são bem semelhantes ao do Evernote, com uma diferença, ela já faz parte de todos os pacotes do Office 365 e acessá-la é simples, já que com o mesmo login e senha você poderá visualizar todos os aplicativos dessa solução.

SharePoint

Organizar projetos, criar sites de equipes, intranets, extranets, reunir pessoas e informações fica mais fácil com o SharePoint. Muito mais avançado que o One Drive e o Dropbox, essa ferramenta é ideal para empresas que utilizam uma grande quantidade de dados para a realização de seus trabalhos e projetos. Por exemplo, contabilidades, consultorias, empresas de serviços, áreas de RH de qualquer tipo de empresas ou até mesmo Agências de Marketing que precisam disponibilizar materiais para seus clientes.

Se você quiser saber mais sobre como usar o SharePoint em sua empresa, se inscreva para uma apresentação online: aqui!

Você também pode ler um pouco mais sobre como usar um dos recursos do SharePoint, que são seus fluxos de trabalho ou workflow.

Skype for Business

Foi-se o tempo em que era necessário pegar um avião para fazer reuniões com pessoas que estão em diferentes localidades ou fazer uma ligação para falar com uma pessoa específica. Com o Skype for Business suas reuniões podem ser feitas totalmente online por meio de chat, chamadas e vídeos com até 250 pessoas, além de ser uma poderosa ferramenta de mensagem instantânea, uma vez que atualiza automaticamente o status da pessoa e permite aos seus colaboradores saber antecipadamente quem está em reunião ou ausente no momento em que precisam se comunicar. O custo é a partir de R$ 8,80 por usuário/mês, mas também compõe o pacote de aplicativos do Office 365, o que minimiza seu valor. Você pode testar aqui!

Dynamics CRM

Empresas que desejam melhorar sua área de atendimento ao cliente, automatizar o trabalho de marketing e otimizar o dia a dia dos vendedores não podem deixar de conhecer o Dynamics CRM, solução de CRM (Customer Relationship Management) da Microsoft. A proposta da ferramenta é integrar as áreas de captação, vendas e atendimento ao cliente (pós-vendas), dando uma visão 360º das necessidades, desejos e interações do cliente com a sua empresa. Faça o test drive da ferramenta aqui.

Quer saber ainda mais? Veja como classificar os potenciais clientes da sua empresa!

Yammer

Com o Yammer você aumenta a capacidade colaborativa do SharePoint adicionando a funcionalidade de rede social corporativa. Entre os recursos disponíveis estão a possibilidade de gerenciar vários projetos, iniciar conversas com outros membros da equipe e poder trabalhar de onde você estiver.

Aposte no uso dessas ferramentas de colaboração para melhorar a produtividade da sua equipe e otimizar ainda mais as entregas da sua empresa.

Tem outras dicas de ferramentas colaborativas? Deixe nos comentários!

Banner do Webinar sobre Office 365

Read more

Gestão da mudança: como lidar com resistências em projetos de TI

Mudanças em projetos de TI são comuns, já que é preciso se manter atualizado com o que acontece nesse universo. Mas, com isso, o medo natural que o ser humano tem das mudanças se torna ainda mais forte, o que pode prejudicar os resultados.

Por isso, a gestão da mudança é indispensável em todo esse processo. A seguir, você confere dicas de como fazer isso e vencer as resistências nos seus projetos de TI!

As mudanças no mundo de TI x resistência humana

O mundo da TI é provavelmente um dos mais dinâmicos. E com as inovações tecnológicas avançando a passos largos, não é de se espantar que novidades apareçam a todo o momento.

Mas novidades também significam maior necessidade de mudança para que seja possível se adaptar tanto às novas possibilidades quanto às novas demandas do mercado. Com isso, a mudança no mundo de TI é mais do que importante: é indispensável.

É o processo de mudança que garante a adaptação necessária para continuar relevante no mercado, assim como para garantir a satisfação contínua do cliente. Além disso, muitas mudanças também agem para garantir mais otimização para os processos em geral, melhorando os resultados organizacionais.

Embora uma máquina não vá oferecer resistência a uma mudança, quando falamos da natureza humana isso é diferente. Entre as pessoas, existe uma resistência natural a mudanças, quaisquer que elas sejam — e mesmo que tragam bons resultados. Por isso, na hora de implantar mudanças no mundo de TI é quase certo encontrar resistências e objeções que precisam ser contornadas para que essas alterações possam oferecer os benefícios esperados.

Como gerir melhor a mudança?

Já que é natural encontrar resistências à mudança, passa a ser necessário encontrar formas de gerir melhor como esse processo vai acontecer e, principalmente, como as mudanças serão aceitas. Nesse sentido, anote algumas dicas:

Engaje os envolvidos

A mudança só acontecerá de verdade e só será benéfica se todos estiverem engajados. Por isso, busque formas de garantir que todos deem pelo menos uma chance a ela e se engajem no processo.

Mostre a importância do papel de cada um, demonstre os impactos positivos da mudança e mantenha a comunicação sempre aberta para garantir um esforço colaborativo.

Comunique a mudança com antecedência

Não há pior forma de gerir a mudança do que não falar sobre ela ou então só falar quando ela já está acontecendo. Para criar engajamento, é preciso construir uma percepção de valor sobre a mudança e isso só é possível se todos os envolvidos forem comunicados com antecedência.

Dessa forma, assim que a mudança surgir como uma necessidade, converse com os envolvidos, comunique a necessidade de adaptação e, só a partir daí, comece a implementar a mudança como previsto. Isso dá tempo para que as pessoas encarem a resistência natural e se engajem.

Capacite os afetados pela mudança

As mudanças em TI normalmente estão relacionadas à experiência do usuário. Por isso, é muito importante que quem vai ser afetado pela mudança seja treinado e capacitado para absorver essas alterações em sua rotina.

Sem fornecer meios para que as pessoas se adaptem, é impossível vencer a resistência que existe e, com isso, a mudança acontece apenas parcialmente.

Ouça com atenção os feedbacks

Se as pessoas souberem que suas opiniões serão ouvidas em caso de problemas, há uma tendência natural de diminuir resistência. Por isso, mesmo após a implantação das mudanças nos seus projetos de TI mantenha-se aberto para receber opiniões de quem foi impactado por ela.

Isso garante uma melhor comunicação interna e também alivia a sensação de obrigação de se adaptar, ajudando a quebrar a resistência.

A gestão de mudança em projetos de TI é indispensável para garantir que as resistências sejam administradas corretamente de modo a não atrapalharem os novos rumos necessários ao negócio. Com atitudes simples e sempre visando mais transparência, é possível diminuir os efeitos da barreira contra mudanças e conseguir melhores resultados.

O que você pensa sobre a gestão de mudanças? Você encontra algum desafio específico nesse processo? Conte nos comentários e participe!

Banner do Webinar sobre Office 365

Read more

Como otimizar a gestão da sua equipe de vendas?

Não adianta ter uma equipe de vendas com boa vontade se ela não tiver as ferramentas certas e bons meios para ser produtiva. Além disso, apenas conhecer o produto não basta, é preciso saber esclarecer as dúvidas que possam surgir, saber mostrar a importância de um determinado produto, como ele pode resolver um problema ou gerar uma oportunidade e, acima de tudo, conhecer e entender o seu cliente.

Sem essas informações, uma venda possivelmente não será concretizada, uma vez que as oportunidades são perdidas por falta de conhecimento. Por isso, quem quer alavancar as vendas com qualidade e rentabilidade precisa se preparar para tal.

Confira nossas dicas para otimizar a gestão da sua equipe de vendas!

Preparando a equipe de vendas

Ter vendedores preparados é fundamental para que se consiga fazer uma venda, porém, muitas vezes eles precisam ter contato com outras áreas para conseguir informações mais completas e sanar as dúvidas dos clientes da melhor maneira possível. Por isso, quanto mais a sua equipe de vendas conhecer do produto, das políticas e do processo de vendas da empresa, mais fácil será para fechar um negócio.

Eles precisam passar por treinamentos constantes não apenas sobre o que se vende, mas também treinamentos motivacionais para que possam estar sempre empenhados. Esses devem ser realizados de forma periódica e servem como um momento para que haja troca de experiências e aperfeiçoamento do processo.

Essa troca será fundamental para que os mais novos possam aprender com os mais experientes e também para que surjam maneiras diferentes de abordar o cliente e concretizar a venda. É preciso que seja feito um bom trabalho em equipe e que todos colaborem para o crescimento comum, melhorando não apenas os resultados individuais como de toda a equipe.

Vendedores motivados

Ninguém consegue vender uma ideia se realmente não acredita nela ou não sente vontade de fazê-la. Por isso, é preciso que os seus colaboradores estejam motivados, o que nem sempre é conquistado apenas com uma boa remuneração, comissionamento ou premiações.

Para conseguir isso, além de todo o treinamento necessário, o vendedor também precisa de uma boa estrutura para trabalhar. De nada adianta cobrá-lo por uma venda e ele se esforçar para fazer o trabalho, mas o sistema que registra o pedido não funciona bem. Isso acaba gerando frustração e desmotivação. Por isso, é importante evitar os erros comuns ao usar um software de vendas.

É preciso estimular esse vendedor para que ele esteja sempre disposto e animado e, às vezes, isso pode representar para ele alguns riscos como metas bastante agressivas. Dessa forma, ele vai buscar novas estratégias para que consiga atingir os seus objetivos e receba a sua premiação. E em todos os casos, os esforços precisam ser reconhecidos, nem que seja por meio de um elogio diante do resto do time.

O uso de leads pela equipe de vendas

Um dos motivos de uma queda nas vendas pode estar em abordar as pessoas erradas, afinal, oferecer um produto para quem não tem o menor interesse faz com que o vendedor apenas perca tempo. Por isso, muito mais do que saber contornar objeções, é preciso saber para quem vender.

Trabalhar com leads pré-qualificados, ao invés de ter listas frias de prospecção pode ser bastante eficiente, uma vez que já se sabe quem são os interessados no seu produto. Depois é preciso apenas levantar mais informações sobre a empresa para entender como você poderá ajudá-la.

Para ter sucesso na hora de fazer a prospecção, não convém abordar uma maior quantidade de possíveis clientes, mas sim aqueles que possuem maior potencial. Com um processo de captação de leads alinhado com o time de marketing, isso se torna muito mais fácil e a possibilidade de concretizar uma venda com mais qualidade também aumenta.

Importância do gerenciamento das vendas

De nada adianta ter uma equipe de vendas preparada e motivada se o processo de vendas não for estruturado, ou seja, somente vender não é o suficiente. É importante entender que a venda começa muito antes do contato com o cliente, é preciso toda uma preparação e planejamento de todas as etapas para que o prometido possa ser entregue.

A primeira coisa é definir um processo para as vendas, sabendo como funcionará cada etapa e quais informações são relevantes para cada uma delas. Deve-se também criar um controle em cima de cada uma para saber se as metas estão sendo atingidas.

Outro fator importante é compreender que a área de vendas não está isolada da organização e para que a equipe possa fazer o seu trabalho, é preciso interagir com outros times — afinal, quando esse processo não é bem executado, certamente vai atingir outros setores.

É preciso pensar em toda a etapa de pré-venda, como coleta de dados e oportunidades, estipulação de metas e orçamento, como será feito o contato com o cliente e mantido esse relacionamento, como será toda a logística do processo e, claro, qual o faturamento que se pretende ter.

Mas para conseguir fazer esse planejamento e ter um controle eficiente sobre todo o processo, é preciso de uma infraestrutura adequada, que vai exigir o uso de softwares específicos. Com isso se tem mais clareza e um melhor acompanhamento, que resulta em maior produtividade.

O uso de um CRM

As empresas que se tornam líderes em vendas ou que conseguem atingir as suas metas, com certeza têm um suporte operacional e um sistema eficiente que as fazem não perder tempo com coisas desnecessárias.

O uso do CRM é cada vez mais essencial para ajudar a estruturar o processo de vendas e também para ter um melhor gerenciamento sobre ele, integrando todas as áreas da empresa de forma rápida e eficiente. Pense que para realizar uma venda será preciso coletar algumas informações do cliente, como tamanho da empresa, contato, necessidade dele e outras. Com o uso de um bom software, como o Dynamics CRM Online, é possível configurar todas as informações que devem ser preenchidas em todas as etapas do processo para que não fiquem lacunas.

Além disso, essas informações podem ser armazenadas em um único local e acessadas sempre que for necessário, registrando um histórico do cliente para que possa ser consultado a qualquer momento. Esse tipo de sistema também permite armazenar seus materiais de apresentação, ou seja, não é preciso elaborar um toda vez que o cliente solicitar, ficando mais fácil e ágil enviar uma proposta ou materiais que apoiem a decisão de compra dele.

Outra grande vantagem é poder fazer agendamentos no sistema, pois ele lhe lembra quando é hora de contatar um cliente ou envia um e-mail de maneira automática. O melhor de tudo é que os gestores podem acompanhar o que está sendo feito por meio de relatórios automatizados, não dependem da informação do vendedor e nem correm o risco de ter dados errados.

Quem quer ter uma equipe de vendas eficiente não deve apenas investir nos profissionais, mas também na informatização, com um sistema eficiente e que traga bons resultados. Dessa forma, as vendas vão alavancar e lhe permitir atingir suas metas de faturamento.

Confira mais dicas sobre como otimizar suas vendas usando um CRM baixando nosso e-book gratuito!

Banner para download do e-book "Otimizando suas vendas com o CRM"

Read more